segunda-feira, 22 de março de 2010

3º Elemento do Processo Administrativo: Direção

- Designar pessoas (Princípio da autoridade e responsabilidade)
- Coordenar Esforços - Comunicar/Motivar/Liderar - Orientar.

Definido o planejamento e estabelecida a organização, resta fazer as coisas andarem e acontecerem. Este é o papel da Direção: acionar e dinamizar a empresa.
A direção está diretamente relacionada com a atuação sobre os recursos humanos da empresa. As pessoas precisam ser aplicadas em seus cargos e funções, treinadas, capacitadas, guiadas e motivadas para que possam atingir os resultados que delas se esperam.

Portanto a direção é a função administrativa que se refere às relações interpessoais dos gestores em todos os níveis da organização e seus respectivos subordinados. Para isso os gestores precisam
  • Comunicar
  • Liderar (é fundamental entender onde a pessoa está na pirâmide das necessidades)
  • Motivar
A Hierarquia das necessidades

A teoria da motivação desenvolvida por Maslow afirma que as necessidades humanas estão organizadas em uma hierarquia de necessidades, formando uma espécie de pirâmide.


O comportamento humano pode ter mais de uma motivação.
O modelo presume que existe uma “melhor maneira” de motivar que é válida para todas as pessoas e todas as situações.
 
Liderança

Para fazer uma empresa ou um departamento produzir resultados, o administrador deve desempenhar funções ativadoras. Entre elas, a liderança e o uso adequado de incentivos para obter motivação. É necessária em todos os tipos de organização humana, principalmente nas empresas e em cada um dos departamentos.

Os líderes devem estar presentes não apenas no nível institucional, mas em todos os níveis da empresa e nos grupos informais de trabalho.

A liderança pode ser estudada em termos de estilos de liderança em relação aos seus subordinados, isto é, maneiras pelas quais o líder orienta sua conduta.

Estilos de liderança
  • Liderança autocrática: Ênfase no líder. O líder é duro e impositivo.
  • Liderança democrática: Ênfase no líder e subordinados. O líder é atuante, consultivo e orientador.
  • Liderança liberal (Laissez faire): Ênfase nos subordinados. O líder deixa todos à vontade.

Na prática, o líder utiliza os três estilos de acordo com a situação, com as pessoas e com a tarefa a ser executada.
Estilos de direção

Os estilos de direção dependem das suposições que os administradores têm a respeito do comportamento humano dentro da empresa. McGregor distingue duas concepções opostas de estilos de direção, baseadas em concepções antagônicas acerca da natureza humana, a Teoria X (ou tradicional) e a Teoria Y (ou moderna).
Teoria X:
  • O homem é indolente e preguiçoso por natureza.
  • Evita o trabalho ou trabalha o mínimo possível em função do salário.
  • Falta-lhe ambição.
  • Não assume responsabilidades.
  • Prefere ser dirigido.
  • Possui grande resistência à mudanças na empresa.
Teoria Y:
  • O trabalho é uma atividade tão natural quanto brincar ou descansar.
  • As pessoas procuram e aceitam responsabilidades e desafios.
  • São esforçadas e gostam de ter o que fazer.
  • São criativas e competentes.

Referência: Chiavenato, Idalberto - Administracão: teoria, processo e prática / 3ª Edição - São Paulo(SP): Makron Books, 2000

Um comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário